Sobre autoconhecimento: apenas uma reflexão

Conhece-te a ti mesmo, dizia Sócrates, que nos convida a olhar para dentro de nós mesmos na tentativa de desvendar os mistérios da alma e descobrir quem realmente somos. Gosto dessa frase. Ela sugere uma introspecção. E nesse processo de auto-observação abre-se uma via de acesso aos recônditos da alma que nos permite descobrir a verdade que se esconde dentro de nós. A verdade sem disfarce. Despir a alma significa revelar as imperfeições que as máscaras escondem. Somos seres imperfeitos à procura do aperfeiçoamento. Mas por que nos escondemos? Por medo de não sermos aceitos pelo outro? Ou por medo de não aceitarmos a nós mesmos? Descobertos não somos tão belos… E por que temos que nos mostrar fortes e inabaláveis o tempo todo? Por trás da armadura de ferro existe uma alma de vidro. Frágil. Sensível. Conhecer-se a si mesmo é uma procura constante, uma vez que hoje já não somos mais os mesmos de ontem. Quem se descobriu por inteiro? Eu sou um mistério pra mim, já dizia Clarice Lispector.

Anúncios

4 comentários sobre “Sobre autoconhecimento: apenas uma reflexão

  1. Erika Ruggio disse:

    De uns tempos pra cá essa questão tem tomado conta de mim. Quanto mais o tempo passa, mais forte é. E quanto mais eu percebo o quanto é difícil me revelar para mim mesma (quem dirá para os outros) percebo que mais eu me cobro. Mas como você bem colocou, é uma procura constante conhecer-se a si mesmo, e devemos sempre estar atento a isso, nos mínimos detalhes, nos nossos pensamentos e atitudes. Eu poderia divagar horas sobre isso, mas vou te poupar dos meus dramas e deixar apenas uma correção para o título: “Sobre autoconhecimento: apenas uma ÓTIMA reflexão”. Porque amei a postagem! Me fez lembrar de mim mesma, por isso vou continuar refletindo daqui por algum tempo. rs
    Um beijo!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Líley Carla disse:

    A autoanálise nos leva ao autoconhecimento que nos leva a mudanças internas que refletem em mudanças externas. E mudar não é fácil… quando a mudança é de dentro pra fora pode ser um processo doloroso, no entanto, importante pra nossa evolução como pessoa. Às vezes, é preciso desconstruir para reconstruir uma versão melhor de quem somos. Amei seu cometário e fiquei feliz que você gostou do post. ❤
    Beijos

    Curtir

  3. Misa Palahniuk disse:

    Existe um livro chamado Kafka à beira-mar, é um livro que gosto muito e remete justamente a isso, autoconhecimento. Levei comigo que “o inferno são os outros” e nessa afirmação me perdi, foi quando percebi que o inferno é cada um de nós.
    “Tomar seriamente coisas que são loucas é um completo desperdício de tempo.”

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s